Reabilitação de edifício termal de Caldas de Aregos avança

A reabilitação do edifício termal de Caldas de Aregos, no concelho de Resende, que representa um investimento superior a 5,7 milhões de euros, vai avançar após o visto prévio do Tribunal de Contas, anunciou a autarquia.

Com o visto prévio ao contrato da empreitada de reabilitação e reconversão parcial do edifício, será possível concretizar o maior investimento realizado neste concelho do distrito de Viseu desde há 24 anos.

Segundo o presidente da Câmara de Resende, Garcez Trindade, “após um intenso trabalho por parte do município”, a obra “vai avançar no terreno brevemente”.

“Trata-se de uma obra muito importante para o concelho e do maior investimento realizado desde a construção da Ponte da Ermida, sendo, também, a obra mais imponente, do ponto de vista financeiro, da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa”, sublinhou.

O autarca está convencido de que “este investimento irá permitir dar nova vida a Caldas de Aregos, transformando-a na estância termal do Douro e afirmando-a como um destino preferencial na área da saúde e bem-estar”, o que aumentará a atratividade turística do concelho.

Com esta obra, será modernizada a oferta termal atual, “aumentando o número de valências funcionais e criando outros serviços complementares”, aproveitando a localização na região do Douro e a existência “do seu melhor recurso”, a água natural mineral, referiu a autarquia.

A empreitada prevê alojamento termal, “através da criação de unidades individuais de diferentes tipologias, aumentando o conforto dos utentes, proporcionando condições ao prolongamento da sua permanência e anulando o efeito da sazonalidade”, acrescentou.

Serão criadas novas valências, como piscina exterior, sauna/banho turco, cosmética, espaços de apoio (sala de conferências, cafetaria e esplanada), terraços para estabelecer ligação direta com o Douro, um parque exterior terapêutico com poças de água quente, equipamento de manutenção e um anfiteatro ao ar livre.

No valor de 5.776.605 euros, esta obra tem o apoio de fundos comunitários, através do Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos.

De acordo com a autarquia, este investimento junta-se a outros que estão a ser realizados em Caldas de Aregos, nomeadamente “as obras de requalificação urbana e as obras de melhoramento da mobilidade urbana sustentável”.

Futuramente, está previsto “o aproveitamento geotérmico das águas quentes de Aregos” e “o projeto das Águas Cálidas de Aregos, que ligará a Avenida das Tílias ao balneário termal, após a sua requalificação”, concluiu.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.