Webinar debate a ética no acesso a cuidados de saúde no pós-pandemia

  • 14 setembro 2021, terça-feira
  • Gestão

A Plataforma Saúde em Diálogo e o Instituto de Saúde Baseada na Evidência (ISBE) estão a promover um webinar sobre a “Ética no acesso a cuidados de saúde – desafios pós-pandemia”, que decorrerá entre as 17 horas e as 19 horas do dia 16 de setembro.

Com este debate pretende-se promover a discussão e a reflexão sobre a ética no acesso a cuidados de saúde e os respetivos desafios num mundo pós-pandemia.

Assim, serão discutidos temas como o panorama da Saúde em Portugal no pós-pandemia; o papel dos prestadores privados e da indústria farmacêutica; o papel e expectativas das associações de doentes; aspetos éticos referentes às regras de acesso aos cuidados de saúde; compatibilidade entre o custo crescente da inovação terapêutica e o débil crescimento do orçamento em saúde; e, por fim, as implicações éticas, legais e políticas das decisões a serem tomadas no pós-pandemia.

“Ao tentar minimizar o impacto da pandemia na vida de todos nós, importa debater questões relacionadas com a ética no acesso aos cuidados de saúde num cenário pós-pandémico, assim como é importante antecipar e analisar a situação da Saúde após termos ultrapassado os desafios do surto sanitário. Isto irá permitir que melhor nos prepararemos para o futuro e, consequentemente, melhor consigamos promover a equidade no acesso aos cuidados de saúde”, referiu a presidente da Plataforma Saúde em Diálogo, Maria do Rosário Zincke.

Para o presidente do Conselho Científico do ISBE, António Vaz Carneiro, a ética das intervenções em saúde no pós-pandemia é “o tópico da equidade é de particular importância”.

A participação no webinar é gratuita mas carece de inscrição, que pode ser efetuada através do formulário disponibilizado online.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.