Santa Maria com camas sociais a partir de dezembro 2019

  • 06 novembro 2019, quarta-feira
  • Gestão

Em entrevista à agência Lusa, Luís Pinheiro, Diretor Clínico do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte (CHULN), que integra os Hospitais de Santa Maria e Pulido Valente, explicou que a ideia é retirar doentes que já não precisam de internamento das camas para doentes agudos.

Trata-se de casos de pessoas que têm alta clínica, mas que aguardam vaga em lares ou na rede de cuidados continuados e que não têm também familiares com condições para as acolher.

A partir do próximo mês de dezembro, o responsável do Santa Maria conta ter um espaço com 26 camas para estas pessoas, deixando no entanto claro que este novo serviço «não é um lar. Não vamos criar um lar. Vamos ter um espaço de internamento onde temos equipas de enfermagem permanentes, não deixamos de ser um hospital e temos esse ADN e essa responsabilidade e teremos disponibilidade médica para identificação de problemas e resolução. Garantimos acompanhamento de enfermagem 24 sobre 24 horas. Não é uma enfermaria nem um lar, é algo intermédio».

Este novo processo de reorganização para diminuir a sobrelotação nos internamentos e reduzir os doentes internados em macas passará ainda pela hospitalização domiciliária, serviço que o CHULC pretende também avançar durante o próximo mês de dezembro por forma a permitir a doentes recuperar em casa de uma doença aguda.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.