Os Desafios da Limpeza Hospitalar

Nunca fez tanto sentido falar sobre a limpeza em unidades de saúde. Estamos num momento em que a limpeza é crucial para ajudar a travar a pandemia em que vivemos atualmente.

Todos os anos mais de 10 milhões de pacientes são contaminados com Infeções Adquiridas nos Cuidados de Saúde, e isto por si só é um enorme desafio para todos os que trabalham nesta área.

Há alguns anos, o ambiente das unidades de saúde não tinha a relevância que tem atualmente. Vários estudos recentes evidenciam que existe transmissão de microrganismos patogénicos entre doentes que nunca se cruzaram, apontando as superfícies como a causa provável dessa contaminação. Estes estudos vieram confirmar o forte contributo da limpeza hospitalar para a redução do risco de infeções adquiridas nos cuidados de saúde.

A limpeza, sendo crucial, enfrenta diversos desafios; é fundamental adotar os procedimentos corretos. Se pensarmos nas unidades de saúde de forma geral - hospitais, clínicas, lares, unidades de cuidados continuados, entre outras -, identificamos quatro desafios comuns no que diz respeito à limpeza:

  • Experiência do paciente: Enquanto utentes de uma unidade de saúde, o que pretendemos é encontrar uma local com a melhor apresentação possível e que nos inspire segurança. Qualquer experiência menos positiva pode pôr em causa a imagem da unidade de saúde.
  • Segurança: Os sistemas de limpeza selecionados devem ser seguros. Seguros não só para os utilizadores, como também para os utentes e para os materiais. 
  • Prevenção de infeções: Este, mais do que um desafio, é um objetivo. Selecionar as melhores tecnologias de desinfeção e associá-las ao método de aplicação correto, bem como à frequência de limpeza adequada, é um exercício constante nas unidades de saúde. Existem várias situações emergentes, como por exemplo a atual pandemia, e há necessidade de responder de forma eficaz e rápida.
  • Eficiência operacional: O tempo é o inimigo número um de uma limpeza eficaz. Num ambiente hospitalar, o tempo disponível para as operações de limpeza é bastante reduzido. Assim, os processos de limpeza têm de ser otimizados para que se consigam os resultados pretendidos, no menor tempo possível e com um controlo de custos adequado.

A melhor forma de dar resposta aos desafios da limpeza hospitalar e de minimizar o impacto que as superfícies possam ter nas infeções adquiridas nos cuidados de saúde é a estruturação do processo de limpeza. (...)

Cláudia Monteiro, gestora de clientes do sector da saúde hospitalar da Diversey Portugal

Artigo completo na Hotelaria e Saúde nº17 jan/jun 2020

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.