INSA lidera estudo europeu sobre impacto da pandemia no estado nutricional infantil

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) vai liderar um estudo europeu para avaliar o impacto da pandemia Covid-19 no estado nutricional e no estilo de vida de crianças em idade escolar.

A iniciativa visa conhecer e compreender o impacto da pandemia nas rotinas diárias, bem-estar, hábitos e comportamentos alimentares, atividade física, variáveis socioeconómicas e perceção do estado nutricional de crianças em idade escolar (6 aos 10 anos), no continente europeu.

“Fizemos questão de apresentar uma série de resultados que temos neste relatório, uma vez que coincidem com dois anos do impacto da Covid”, mas falta conhecer o seu “impacto no estado nutricional infantil”, disse à agência Lusa a investigadora do INSA Ana Rito, que vai assumir a condução científica da equipa europeia responsável pelo estudo, coordenado pelo Gabinete Europeu da OMS para a Prevenção e Controlo de Doenças Crónicas Não-Transmissíveis.

Para Ana Rito, é importante continuar a monitorizar o estado nutricional infantil depois de dois anos de pandemia.

“Nós, INSA, estivemos sempre na linha da frente neste combate a esta pandemia que convoca todos, na verdade, e queremos estar igualmente na linha da frente neste estudo científico do impacto da Covid-19 na obesidade infantil”, salientou a investigadora.

O estudo vai ser implementado por um grupo de 30 países da rede COSI/OMS Europa durante este ano letivo (2021/2022), com o objetivo de recolher dados válidos e comparáveis sobre o impacto da pandemia, com vista à possível identificação de grupos de risco vulneráveis aos efeitos da pandemia, permitindo informar e sustentar futuras intervenções e políticas de saúde pública, referiu o INSA.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.