COVID-19 vai entrar no sistema de vigilância sazonal

O sistema de vigilância sentinela da gripe sazonal vai ser alargado à COVID-19, para que se conheça detalhadamente o que se vai passar na população portuguesa com a coexistência dos dois vírus.

A vigilância epidemiológica da gripe é feita, desde 1990, pela Rede Médicos-Sentinela, um sistema baseado nos cuidados de saúde primários. Em declarações à Lusa, o coordenador do Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), Carlos Dias, referiu que o objetivo é adaptar este sistema ao novo coronavírus SARS-Cov2.

“Esse é um aspeto muito importante que está a ser preparado desde já” porque se trata de duas “doenças que têm uma expressão respiratória óbvia, em termos de sinais, de sintomas, a tosse, febre, dificuldade respiratória, etc.”, explicou Carlos Dias.

Apesar da época gripal 2019/2020 já estar no final, Carlos Dias considera conveniente preparar já a próxima época de gripe por existir a possibilidade de que, no próximo inverno, exista tanto em Portugal como na Europa, e no mundo, a circulação desses dois vírus, sendo possível ser infetado em simultâneo pelo vírus da gripe sazonal e pelo vírus que causa a COVID-19.

Para o epidemiologista, o país tem que “se preparar desde já” com sistemas de informação para que “até a próxima época de gripe e durante toda a época se possa conhecer com detalhe e com um atraso mínimo o que é que se vai passar na população portuguesa quanto à coexistência deste dois vírus”.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.