Águas termais da região Centro têm propriedades anti-inflamatórias

  • 01 fevereiro 2021, segunda-feira
  • Gestão

Segundo um estudo hoje divulgado, realizado por uma equipa de investigadores das universidades de Coimbra e da Beira Interior, as águas termais da região Centro têm propriedades anti-inflamatórias.

Em comunicado, o consórcio Termas do Centro especifica que o estudo investigou as propriedades anti-inflamatórias de 14 águas termais com origem em termas da região Centro e que os resultados confirmam cientificamente que estas águas têm benefícios no alívio de sintomas e no tratamento de diversas doenças associadas a situações de inflamação.

“Os nossos resultados contribuem para a validação científica, pela primeira vez, das propriedades anti-inflamatórias das águas termais da região Centro, usando modelos celulares de inflamação. As conclusões sustentam a utilização das águas termais no tratamento de doenças relacionadas com a inflamação e, ao mesmo tempo, promovem a sua posterior aplicação em produtos cosméticos e dispositivos médicos”, sublinham as autoras do estudo.

A investigação foi realizada por uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (CNC-UC), liderada por Teresa Cruz Rosete e Cláudia Pereira, e conduzida por Ana Cristina Silva, e por investigadores da Universidade da Beira Interior (CICS-UBI), do grupo de investigação de Ana Palmeira, que trabalharam em conjunto para validar o uso tradicional das águas termais da região Centro.

O trabalho centrou-se nas propriedades anti-inflamatórias de 14 águas termais com origem em termas da região Centro e, a nível laboratorial, células da imunidade inata, mais especificamente macrófagos, foram estimuladas com um agente inflamatório, sendo depois expostas a estas águas.

“Verificou-se, como resultado, a diminuição da produção de mediadores inflamatórios, ou seja, a redução da resposta inflamatória neste modelo celular. Concretamente, das 14 águas termais alvo do estudo, 11 apresentaram uma redução significativa na produção de óxido nítrico, presente em situações inflamatórias”, lê-se no comunicado.

O coordenador da rede Termas Centro, Adriano Barreto Ramos, citado no comunicado, salientou a importância dos resultados deste estudo para as estâncias termais da região, uma vez que investigações como esta “demonstram, de forma científica, o papel das águas termais no restabelecimento da saúde dos aquistas”.

“Além disso, estes estudos abrem caminho ao desenvolvimento de produtos naturais com efeitos anti-inflamatórios, com base nestas águas”, acrescentou.

A investigação contou com o apoio do consórcio Termas Centro, através do projeto PROVERE Valorização das Estâncias Termais da Região Centro.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.