A importância do design para a recuperação do paciente

  • 04 dezembro 2017, segunda-feira
  • Gestão

Chris Connell, é o Diretor de Design da Cleveland Clinic (sim, Diretor de Design…). Em entrevista, este mês, à revista americana H&HN fala sobre como o design é tão crucial para melhorar a experiência e recuperação do paciente.

Como diretor de design, a sua principal responsabilidade é lidar com quaisquer elementos físicos dentro da organização - desde edifícios até o aspeto mais não-clínico do ambiente do paciente. Coloca o design do ambiente que rodeia o paciente como parte integrante dos cuidados de saúde.

O que se espera de um centro de design num hospital

O Centro de Design, pelo qual é responsável, inclui arquitetura, planeamento espacial - como o espaço é distribuído e projetado - engloba o Instituto de Artes e Medicina, o qual integra as artes visuais, a música, as artes cénicas e a pesquisa para promover a cura e melhorar a vida dos pacientes, das famílias, dos visitantes e dos funcionários, incluindo a criação e a seleção de obras de arte em todo o campus; e o Departamento para um Ambiente Saudável, que aborda o bem-estar e a sustentabilidade.

Como responsável pelo Centro de Design reporta diretamente ao Presidente e CEO da Clínica, que sempre considerou cuidadosamente o design do ambiente para paciente, tanto no projeto de novos edifícios como na exploração dos existentes.

Contudo a missão do Centro de Design evoluiu ao longo de vários anos. Sentem que a criação de ambientes consistentes, tranquilos, tecnicamente capazes para os pacientes e para a equipa de profissionais ajuda verdadeiramente a melhorar a experiência do paciente e deve ser considerada - ao lado dos aspetos puramente clínicos - uma parte importante dos cuidados de saúde. O papel do centro é também reunir todas as diferentes áreas internamente incluindo os colaboradores internos e externos.

É importante trabalhar em projetos aparentemente pequenos, ao lado de projetos maiores e mais estratégicos. Tudo tem que ser sobre a melhoria contínua e, à medida que os cuidados de saúde evoluem, é política do Centro “olhar em frente”.

Equilíbrio entre a tecnologia e o ambiente em que se insere

A Cleveland Clinic é internacional pelo que o Centro de Design tem em conta as especificidades de cada região. Uma instalação no Médio Oriente, na Europa ou Ohio, Flórida ou Las Vegas tem de ter um certo nível de qualidade e o paciente quando entra tem de encontrar um ambiente que o faça sentir calmo e relaxado - para contrariar o que negativamente o levou ali.
É necessário um equilíbrio entre a tecnologia para os cuidados de saúde e o ambiente que a rodeia. Por exemplo, as áreas de espera são intrigantes porque não importa o quão lindamente tenham sido desenhadas, ninguém quer passar muito tempo lá. É aqui que o design ultrapassa apenas os elementos físicos.

É importante minimizar a sensação da espera, tanto quanto possível. Fornecer aos pacientes uma interface de fácil utilização que lhes indica o tempo de espera estimado para que sejam atendidos pelo médico, onde é o café mais próximo ou onde há uma exposição de arte dentro das instalações. Os pacientes podem ser levados diretamente para os seus quartos e esperar lá para ver o médico? Como é concebida a alocação de espaço, como é conduzido o paciente numa instalação. No quarto de um paciente existe a necessidade constante de equilibrar o equipamento necessário e o facto desse equipamento poder tornar o quarto intimidante. É importante projetar quartos como salas de estar sem que a tecnologia esteja “visivelmente” visível.

Projetos-chave

Há dois projetos-chave: o plano diretor para o campus principal e o campus de educação em saúde que está em construção. O segundo é um excelente exemplo do que Chris Connell chama de pensamento sustentável. Com o campus de educação em saúde, o plano original era para quatro edifícios separados - duas escolas separadas de medicina, uma escola de medicina dentária e uma escola de enfermagem. Ao combinar os quatro edifícios numa única instalação, partilhando recursos, economizaram cerca de 40% na área do edifício. Ao colocar um pátio coberto no meio, reduziram as áreas de fachada e a potencial perda de calor. Ao usar o HoloLens da Microsoft [um computador holográfico autónomo] e criando um programa de anatomia virtual em vez de usar cadáveres, eliminaram a necessidade de produtos químicos nocivos e ventilação excessiva.

Para o diretor do Centro de Design, não há substituto para ser envolvido desde cedo, permitir decisões estratégicas antes meter mãos à obra e supervisionar os projetos ao longo do seu ciclo de vida.

Sobre Connell File

Diretor do Centro de Design da Cleveland Clinic. Responsável por quaisquer elementos físicos de design dentro da organização - dos edifícios à maioria dos aspectos não-clínicos do ambiente do paciente. Responsável pelo design do novo Campus de Educação em Saúde para a Case Western Reserve University e Cleveland Clinic para criar um novo modelo para o futuro da educação em saúde. Contribui para o design da Cleveland Clinic London. Como parceiro da empresa de arquitetura Foster + Partners, desempenhou um papel fundamental na criação do plano diretor da Cleveland Clinic, projetado para proporcionar um ambiente de acolhimento para os pacientes e servir como um roteiro para desenvolvimento futuro. Trabalhou em mais de 100 projetos de construção em todo o mundo, em 28 anos, com a Foster + Partners e recebeu mais de 40 prémios. Estudou arquitetura na Glasgow School of Art.

Newsletter Hotelaria & Saúde

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre gestão hoteleira em unidades de saúde e bem-estar.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.